PAISAGEM

ORAÇÃO DO DIVINO ESPÍRITO SANTO

OH! JESUS MEU ETERNO PAI DO CÉU, DOCE CORAÇÃO DE JESUS, SOIS O ME REFÚGIO, MEU GUIA, MINHA LUZ QUE ILUMINA TODO MEU CAMINHO, ME PROTEJA, ME AJUDE, ME DÊ ÂNIMO, CORAGEM E MUITA CONFIANÇA. FIQUE SEMPRE COMIGO. DAI-ME UMA PAZ QUE BROTA DO MEU CORAÇÃO. DAI-ME A GRAÇA DE CONSEGUIR FAZER ALGO PARA VOS AGRADAR. DAI-ME FORÇA, A DECISÃO E CORAGEM. ENVIE TEU ESPÍRITO SANTO E TUDO SERÁ CRIADO. NÃO DEIXE TARDAR EM VOS AGRADECER. ILUMINE MINHA MENTE QUE DEVO FAZER. AJUDE QUE EU NÃO ME ESQUEÇA DE VOS AGRADECER. JESUS FIQUE SEMPRE COMIGO. DOCE CORAÇÃO DE MARIA, RAINHA DO CÉU E DA TERRA. SEJA NOSSA SALVAÇÃO. AMÉM

Observação: Esta oração foi escrita por minha mãe em seus últimos dias de vida /1993. Saudades!

sábado, 12 de novembro de 2011

Haicai

Crie seu próprio haicai e pendure em nossa Árvore do Tanabata! [?]

educarparacrescer.abril.com.br
Ferramenta educativa e colaborativa para que crianças e jovens criem seu próprio haicai
Venha se tornar um haicaísta: nesta ferramenta, todos podem criar e publicar um haicai na hora
Fonte: http://educarparacrescer.abril.com.br/haicai/

Haicai
[...]
O haicai é uma forma de poesia japonesa, pequeno poema de três versos, com cinco, sete e cinco sílabas sucessivamente. Ele evoca uma singela e delicada impressão do mundo, da natureza, do homem, das plantas ou dos animais; às vezes com um refinado toque de lirismo de caráter melancólico ou nostálgico, outras, com um rasgo de ligeiro humor (HUIZINGA, 1990: 138). 
[...]
Os poemas de Reika exploram basicamente uma das vertentes temáticas preferidas da poesia de Helena: o poeta diante de si mesmo e da poesia. Ela é poeta vigorosa que concilia perfeitamente a experiência da subjetividade com a objetividade, ou seja, emoção e razão, atualizando-se pelo nítido espírito de modernidade. Sua linguagem é densa de significação.

Seus versos são repletos de significados, sugestões e imaginação, que resultam numa poesia intelectual e emotiva, marcada pela síntese e pela moderna procura de uma semântica inventiva, instauradora de múltiplos sentidos, preocupada com a estética. Por essas razões, a poesia kolodyana se legitima, à definição de Octavio Paz: "Operação capaz de transformar o mundo, a atividade poética é revolucionária por natureza" (1982:15).

(Poemas retirados de Viagem no Espelho, de Helena Kolody.)

RESSONÂNCIA
Bate breve o gongo.
Na amplidão do templo ecoa
o som lento e longo. 

FLECHA DE SOL
A flecha de sol
pinta estrelas na vidraça.
Despede-se o dia. 

NOITE
Luar nos cabelos.
Constelações na memória.
Orvalho no olhar. 

SAUDADES
Um sabiá cantou.
Longe, dançou o arvoredo.
Choveram saudades. 

REPUXO ILUMINADO
Em líquidos caules,
irisadas flores d'água
cintilam ao sol. 

DEPOIS
Será sempre agora.
Viajarei pelas galáxias
universo afora. 

ALQUIMIA
Nas mãos inspiradas
nascem antigas palavras
com novo matiz. 

JORNADA
Tão longa a jornada!
E a gente cai, de repente,
No abismo do nada.

SEMPRE MADRUGADA
Para quem viaja ao encontro do sol,
é sempre madrugada. 

RETRATO ANTIGO (1988)
Quem é essa
que me olha
de tão longe,
com olhos que foram meus?

VOZ DA NOITE (1986)
O sol se apaga.
De mansinho,
a sombra cresce.
A voz da noite
diz, baixinho:
esquece... esquece...

A MIRAGEM NO CAMINHO (1978)
Perdeu-se em nada,
caminhou sozinho,
a perseguir um grande sonho louco.
(E a felicidade
era aquele pouco
que desprezou ao longo do caminho).

DOM
Deus dá a todos uma estrela.
Uns fazem da estrela um sol.
Outros nem conseguem vê-la.

POESIA MÍNIMA
Pintou estrelas no muro
e teve o céu
ao alcance das mãos.


Influencia de Guilherme de Almeida 
[...]
Guilherme de Almeida (1890-1969) desenvolveu uma nova maneira de escrever haicais, que influencia poetas até hoje. Ele conservou a métrica de 5-7-5 sílabas, mas rimando o 1o e o 3o versos. E acrescentou uma rima interna no segundo verso, entre a 2a e a 7a sílaba.





Velhice
Uma folha morta
Um galho, no céu grisalho.
Fecho a minha porta.


A contagem de sílabas pode ser vista no esquema a seguir:
U-ma fo-lha mor-ta.
1   2   3   4   5
Um ga-lho, no céu gri-sa-lho.
  1    2    3   4    5    6   7
Fe-cho a mi-nha por-ta.
  1      2   3   4    5
Notem que este método gera um segmento de 5 sílabas interno ao segundo verso, somando com os 1o e 3o versos o total de 3 segmentos de 5 sílabas. Isso dota o haicai de uma forte cadência e musicalidade contra a estrutura original de 5-7-5.
Hoje, a despeito de ter criado uma fórmula genuinamente brasileira para o haicai, o modelo guilhermino é criticado tanto por aqueles que defendem estritamente a regra de 5-7-5 sem rima como por aqueles que defendem o uso de linguagem simples sem virtuosismos técnicos.
Eis mais alguns haicais de Guilherme de Almeida:




Caridade
Desfolha-se a rosa.
Parece até que floresce
O chão cor-de-rosa
Infância
Um gosto de amora
Comida com sol. A vida
Chamava-se "Agora".
História de algumas vidas
Noite. Um silvo no ar.
Ninguém na estação. E o trem
Passa sem parar.
O Haikai
Lava, escorre, agita
A areia. E enfim, na batéia,
Fica uma pepita.
 
Fonte do texto na íntegra: http://www.sumauma.net/gremio/palestra-edson.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá pessoal!
Agradeço seu comentário.
Volte sempre! Geisa