PAISAGEM

ORAÇÃO DO DIVINO ESPÍRITO SANTO

OH! JESUS MEU ETERNO PAI DO CÉU, DOCE CORAÇÃO DE JESUS, SOIS O ME REFÚGIO, MEU GUIA, MINHA LUZ QUE ILUMINA TODO MEU CAMINHO, ME PROTEJA, ME AJUDE, ME DÊ ÂNIMO, CORAGEM E MUITA CONFIANÇA. FIQUE SEMPRE COMIGO. DAI-ME UMA PAZ QUE BROTA DO MEU CORAÇÃO. DAI-ME A GRAÇA DE CONSEGUIR FAZER ALGO PARA VOS AGRADAR. DAI-ME FORÇA, A DECISÃO E CORAGEM. ENVIE TEU ESPÍRITO SANTO E TUDO SERÁ CRIADO. NÃO DEIXE TARDAR EM VOS AGRADECER. ILUMINE MINHA MENTE QUE DEVO FAZER. AJUDE QUE EU NÃO ME ESQUEÇA DE VOS AGRADECER. JESUS FIQUE SEMPRE COMIGO. DOCE CORAÇÃO DE MARIA, RAINHA DO CÉU E DA TERRA. SEJA NOSSA SALVAÇÃO. AMÉM

Observação: Esta oração foi escrita por minha mãe em seus últimos dias de vida /1993. Saudades!

sábado, 18 de junho de 2011

Trovadorismo II / Literatura de Cordel - iPED

1. O trovadorismo provençal 
O trovadorismo foi uma manifestação literária da língua portuguesa. No mesmo período que Portugal começou a apontar-se como nação independente, surgiu o trovadorismo. Isso ocorreu por volta do século XII, onde suas origens foram dadas na Provença, espalhando-se por toda a Europa. 

Para podermos explicar a origem do Trovadorismo, devemos considerar quatro teses fundamentais. Vejamos: 

- A tese arábica: essa tese defende a cultura arábica, como sendo sua velha raiz; 

- A tese folclórica: essa tese foi criada pelo seu próprio povo; 

- A tese médio-latinista: essa tese diz que essa poesia foi criada na Idade Média, tendo sua origem na literatura latina. 

- A tese litúrgica: essa tese considera-se fruto da poesia litúrgico-cristã, produzida na mesma época. 

Existiam os trovadores, que eram aquelas pessoas que escreviam as poesias e as melodias que as acompanhavam, lembrando que as cantigas são todas as poesias cantadas. 

É importante sabermos que o nome trovador, é dado aos autores nobres, pois os autores que possuem uma origem vilã, recebiam o nome de jogral

Mesmo sendo lógico que eram os jograis que tocavam e cantavam as poesias, podemos dizer que grandes partes dos trovadores também interpretavam suas próprias composições. 

As quatro cantigas reunidas nos cancioneiros, podem ser divididas em dois gêneros. 

Vejamos: 


Gênero lírico: cantigas de amor e cantigas de amigo

 Cantiga de amor: essas cantigas originaram-se na Provença, região sul da França, estão relacionadas com um tratamento amoroso, onde o trovador canta seu amor a uma dama, apresentando um eu - lírico – masculino.


Vejamos um exemplo de cantiga de amor:

Texto I – Cantiga de amor


Essa cantiga de Afonso Fernandes mostra algumas características de incorrespondência amorosa. 

“Senhora minha, desde que vos vi, 
lutei para ocultar esta paixão 
que me tomou inteiro o coração; 
mas não o posso mais e decidi 
que saibam todos o meu grande amor, 
a tristeza que tenho, a imensa dor 
que sofro desde o dia em que vos vi.” 


Nessa 1ª estrofe o trovador expressa o que sente mais de uma maneira que expressa súplica, a mulher que ele conheceu está sendo idealizada em que ele se declara a ela, ele expõe os argumentos que justificam sua desgraça.


 Cantiga de amigo: nessa cantiga ao invés do homem se expressar, quem se expressa é o homem, mesmo o trovador compondo a cantiga, o seu ponto de vista é feminino. Ele faz isso para poder mostrar o outro lado do relacionamento amoroso, ou seja, ele quer mostrar como a mulher sofre quando está à espera do namorado (que recebe o nome de amigo), logo ele quer mostrar a dor do amor não correspondido, as saudades, etc. apresentando um eu - lírico – feminino. 


Vejamos um exemplo de uma cantiga de amigo: 

Cantiga de amigo de Martim Codax (paralelística)



Paráfrase 

Ondas do mar de Vigo 
Se vires meu namorado! 
Por Deus, (digam) se virá cedo! 

Ondas do mar revolto, 
Se vires o meu namorado! 
Por Deus, (digam) se virá cedo! 

Se vires meu namorado, 
Aquele por quem eu suspiro! 
Por Deus, (digam) se virá cedo! 

Se vires meu namorado 
Por quem tenho grande temor! 
Por Deus, (digam) se virá cedo!
 

Essa cantiga é de amigo, e mostra que a mulher espera ansiosamente pelo amigo, visa bastante às ondas do mar de Vigo e sobre o regresso de seu amado.


Gênero satírico: cantiga de escárnio e cantiga de maldizer


 Cantiga de escárnio: essa cantiga apresenta uma crítica direta e irônica.  

 Vejamos um exemplo de cantiga de escárnio: 

Ai, dona fea, foste-vos queixar 
que vos nunca louv[o] em meu cantar; 
mais ora quero fazer um cantar 
em que vos loarei toda via; 
e vedes como vos quero loar: 
dona fea, velha e sandia!... 



 Cantiga de maldizer: essa cantiga, como o próprio nome já diz, apresenta uma crítica também direta e mais grosseira.

Vejamos um exemplo de cantiga de Maldizer: 

Roi queimado morreu con amor 
Em seus cantares por Sancta Maria 
por ua dona que gran bem queria 
e por se meter por mais trovador 
porque lhela non quis [o] benfazer 
fez-sel en seus cantares morrer 
mas ressurgiu depois ao tercer dia!...
 

Outras modalidade satíricas  
As cantigas sátiricas distiguem-se de várias formas , ou modalidade de cantigas. 
 As cantigas de joguete arteio e risabelha: são pequenas composições que fazem rir somente no momento, ou seja, causa um riso imediato, e que não têm nenhuma críticas às pessoas e nem à sociedade.
 As cantigas de seguir: são construídas a partir de outra cantiga, ou seja, o tema da cantiga foi reaproveitado, os versos, as rimas e as músicas.
 O sirventês: muito diferente de uma sátira personalizada, era composto por um servo em honra a seu senhor, ou seja, escreveu sobre os inimigos de seu senhor
 O desacordo: se diferencia pela irregularidade do esquema métrico.
 As tensões: era como se fosse um desafio onde os trovadores e os jograis tinham que calcular suas habilidades poéticas.
Fonte: http://www.colegioweb.com.br/literatura/trovadorismo-provencal.html

2. O trovadorismo galego-português.  
O surgimento do trovadorismo galego-português teve uma forte ligação com a fundação da nação portuguesa. 
Aproximadamente no século XI, ocorreram algumas batalhas sangrentas na Península Ibérica, com a função de mandar os muçulmanos que estavam na região embora. Embora tenha ocorrido no caso das Cruzadas, bem mais que uma intenção religiosa, as lutas terão grandes propósitos territoriais e políticos.
Com isso podemos dizer que a Lusitânia se declarará como sendo uma religião politicamente independente do restante da península, onde Afonso I (o primeiro rei de Portugal) irá subir para o trono no ano de 1139.
Mesmo sendo complicado saber o momento certo do inicio de uma língua ou de uma variação lingüística, na Lusitânia se deu como uma língua falada e a escrita o galego-português.
Um momento de religiosidade, batalhas e reconquista foi vivido pelo poeta, já o da língua galego-portuguesa, foi o trovador, onde sua arte se refletiu no mundo a sua volta. 
Como já vimos no texto anterior, para ser um trovador, a pessoa precisa ser em primeiro lugar um nobre, ter participação no ambiente da corte, ser acima de tudo uma pessoa culta, e também ser protegido de um nobre com grande influência, pois se não receberia o nome de Jogral. 
A primeira escola literária galego-portuguesa foi representada pelo trovadorismo, onde suas cantigas foram organizadas pelos cancioneiros, que eram divididos em:  
• Cancioneiro da Ajuda; 
• Cancioneiro da Biblioteca Nacional de Lisboa; 
• Cancioneiro da Vaticana.
 
Essas cantigas como já vimos anteriormente, foram classificadas em cantiga de amor, amigo, escárnio e maldizer, onde eram divididos em dois gêneros lírico e satírico.  

Os cancioneiros: 

Como vimos no texto anterior, existiam três tipos de cancioneiros, eles eram classificados de acordo com a qualidade e quantidade de suas cantigas.  
Vejamos cada um deles: 
• O cancioneiro da Ajuda
• O Cancioneiro da Vaticana
• Cancioneiro da biblioteca nacional
Com 310 cantigas, quase todas de amor. Esse é o mais velho cancioneiro, reunido no reinado de D. Afonso III. É o único que remota a época trovadoresca.Com 1.205 cantigas de variados autores, mas todas com as quatro modalidades (amor, amigo, escárnio e maldizer), incluindo 138 cantigas de D. Diniz, que era considerado o Rei-Trovador.Com 1.647 cantigas de todas as modalidades. O Cancioneiro também é chamado de Calocci-Brancutti em homenagem aos seus dois possuidores italianos.
Os cancioneiros não são coleções de poesia lusa, mas de poesia peninsular na língua galego-portuguesa. 
Trovadores – Jograis – Segréis – Menestréis 
Fonte: http://youtu.be/aKoLaAsRO1s


Em ordem decrescente era constituída a hierarquia dos poetas-músicos medievais e que era de bastante importância social e artística. 

1. Trovadores: são poetas nobres, cultos criadores de cantigas e textos.

2. Jogral: são poetas humildes, eles também eram compositores de cantigas.

3. Segrel: estabelecia uma classe intermediária entre o trovador e o jogral. É importante lembrarmos que o segrel existiu somente na escola galego portuguesa. Eles eram da pequena nobreza, que reproduzia suas próprias composições.

4. Menestrel: era o nome que os músicos da corte passaram a ser chamado no século XIV, quando o nome jogral passou a ser desagradavelmente usado para chamar os bobos.
Fonte: http://www.colegioweb.com.br/literatura/o-trovadorismo-galegoportugues.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá pessoal!
Agradeço seu comentário.
Volte sempre! Geisa