PAISAGEM

ORAÇÃO DO DIVINO ESPÍRITO SANTO

OH! JESUS MEU ETERNO PAI DO CÉU, DOCE CORAÇÃO DE JESUS, SOIS O ME REFÚGIO, MEU GUIA, MINHA LUZ QUE ILUMINA TODO MEU CAMINHO, ME PROTEJA, ME AJUDE, ME DÊ ÂNIMO, CORAGEM E MUITA CONFIANÇA. FIQUE SEMPRE COMIGO. DAI-ME UMA PAZ QUE BROTA DO MEU CORAÇÃO. DAI-ME A GRAÇA DE CONSEGUIR FAZER ALGO PARA VOS AGRADAR. DAI-ME FORÇA, A DECISÃO E CORAGEM. ENVIE TEU ESPÍRITO SANTO E TUDO SERÁ CRIADO. NÃO DEIXE TARDAR EM VOS AGRADECER. ILUMINE MINHA MENTE QUE DEVO FAZER. AJUDE QUE EU NÃO ME ESQUEÇA DE VOS AGRADECER. JESUS FIQUE SEMPRE COMIGO. DOCE CORAÇÃO DE MARIA, RAINHA DO CÉU E DA TERRA. SEJA NOSSA SALVAÇÃO. AMÉM

Observação: Esta oração foi escrita por minha mãe em seus últimos dias de vida /1993. Saudades!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Resenhas em inglês

Objetivos
1) Ampliar o conhecimento da língua inglesa por meio da elaboração de resenhas literárias;
2) estimular os alunos a ler e a expressar seu ponto de vista sobre a obra lida;
3) elaboração de resenhas de textos literários (que podem ser adaptados ou originais);
4) difundir obras da literatura de língua inglesa.

Objetivos específicos

1) Uso do presente simples para tematizar a obra;
2) Utilização da 3ª pessoa do singular e da voz passiva como marcas de impessoalidade;
3) Uso de organizadores descritivo-narrativos para tematizar a obra, tais como: first... second, first of all, to begin with, also, in the end, finally, for example, to get back to the point, buscando dirigir o olhar do leitor para aspectos significativos do texto;
4) Utilização de marcadores lógico-argumentativos, como: but, however, although, on the other hand, even so, no sentido de convencer o destinatário de que sua posição a respeito da obra é plausível.

Estratégias

1) Levantamento das obras que os alunos gostariam de ler (professor pode fazer sugestões, pode propor uma visita à biblioteca da escola, pode pedir que os alunos tragam os livros que têm em casa);
2) Escolha de obras a serem lidas sob orientação do professor. Critérios bastante significativos para orientar essa escolha são: dar preferência a livros clássicos e a textos originais ou que não sejam redutores, quer dizer, cuja adaptação tenha destituído a obra de suas características temáticas, linguísticas ou textuais mais marcantes;
3) Levantamento do conhecimento prévio dos alunos acerca das características do gênero (resenha de obra literária) e das expectativas de leitura;
4) Leitura de uma resenha (escolhida pelo professor e de uma obra que não consta da lista de leituras da classe). Essa leitura visa colocar o aluno em contato com o gênero para que sejam identificadas suas características;
5) Pesquisa sobre a biografia do autor. A pesquisa pode ser feita em inglês, se o professor der orientações de leitura de textos biográficos. O professor pode fornecer ou compor com a classe uma lista de dados que os alunos devem pesquisar e que devem figurar numa apresentação oral em roda de conversa. As fontes de pesquisa podem ser variadas (internet, enciclopédias, dicionários, etc.), mas o professor sempre deve dar sugestões ou estimular que os alunos socializem o conhecimento já adquirido;
6) Pesquisa sobre o contexto de produção da obra. Essa pesquisa visa ampliar o repertório do aluno sobre o momento histórico em que a obra foi escrita, o gênero literário a que pertence e suas características. Os alunos podem apresentar os resultados da pesquisa (de forma oral ou escrita), ou simplesmente mantê-los registrados no caderno para, posteriormente, serem usados para compor a resenha;
7) Enquanto os alunos leem a obra em casa, o professor orienta a tomada de notas sobre a obra. Essas anotações podem versar sobre o nome dos personagens e suas características, a descrição do espaço, a sequência da narrativa, etc. É fundamental que o aluno aprenda a fazer esses registros, que não precisam ser muito longos ou detalhados, mas que serão importantes durante o processo de textualização;
8) Concluída a leitura da obra, é tempo de escrever. Nessa fase, é fundamental estimular o aluno a planejar seu texto, escolhendo os dados que usará para compô-lo e como vai estruturá-lo. É significativo, também, que o aluno volte aos textos de referência, os analise novamente e faça escolhas estilísticas com as quais mais se identifica;
9) Ao fim da textualização, o professor lê cada resenha e propõe atividades de revisão. Essas atividades podem versar sobre os elementos de coerência ou coesão e, principalmente, sobre os conteúdos que se propõe a ensinar. As atividades de revisão podem ser feitas a partir da tematização coletiva de uma resenha em particular ou de sugestões dadas para a classe de modo geral ou para os alunos individualmente;
10) Os alunos são estimulados a reescreverem seus textos com base nas atividades de revisão. Nesse processo de reescrita, o professor não pode perder de vista que todos os elementos que compõem o gênero devem ser revisados: a adequação do gênero à situação comunicativa, a estrutura do texto (texto argumentativo, mas marcado por momentos descritivo-narrativos) e os mecanismos linguísticos (sintáticos, lexicais, etc.) que asseguram a coesão do texto.

Comentários

O projeto pode ter duração de dois a três meses. No que se refere ao tratamento didático, este projeto apóia-se na criação de uma situação comunicativa, uma situação que reúna características das situações reais de comunicação e em que os alunos se vejam realmente engajados na elaboração de textos (orais ou escritos) e apóia-se, também, na criação de sequências didáticas que visem possibilitar aos alunos aproximações sucessivas em relação ao gênero textual em questão que será, ao mesmo tempo, meio de concretização das intenções comunicativas e objeto de estudo.

Avaliação da aprendizagem

O ideal é utilizar diferentes instrumentos para compor a nota final dos alunos. O professor pode avaliar as pesquisas, a apresentação oral da biografia e do contexto de produção da obra e as resenhas. Também pode fazer provas sobre os conteúdos tematizados durante o projeto. Lembrar sempre de não reduzir a avaliação a aprendizagem dos conteúdos gramaticais, mas avaliar todos os conteúdos a que se propôs ensinar.

Referências bibliográficas

CHIAPPINI, L. (coord.), Coleção "Aprender e Ensinar com Textos", São Paulo, Cortez, vários volumes.
HERNÁNDEZ, F. e VENTURA, M. "A Organização do Currículo por Projetos de Trabalho (O Conhecimento é um Caleidoscópio), Porto Alegre, ArtMed, 1998.
MACHADO, A. R. (coord.), "Resenha", Coleção "Leitura e Produção de Textos Técnicos e Acadêmicos, São Paulo, Parábola Editorial, 2004.
Fonte: http://educador.net.br/index.php/component/content/article/70-ingles/301-resenhas-em-ingles

Exemplo:

Frankenstein

Frankestein was written by Mary Shelley, the wife of the poet P. B. Shelley, in 1818. It is a horror story which is thought to be the original science fiction novel.

The story is told through the letters of a man called Walton, an English explorer. We are told of Victor Frankenstein, a student from Geneva, who discovers the secret of life. So he collects bones and bodies from graveyards, and constructs a creature which is more monster than man. People are terrified of it because it is so huge and ugly.

The poor monster has no friends and feels lonely and depressed,so it asks Frankenstein to make it a wife. This he refuses to do. Then the monster attacks and kills not only Frankenstein's friend but also his brother and his brother's bride Elizabeth.

Frankenstein is heartbroken and is determined to kill the monster.However, he is killed by the monster, which then kills itself.

Frankenstein is a fascinating story because of the character of the monster, which is both sad and frightening at the same time.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá pessoal!
Agradeço seu comentário.
Volte sempre! Geisa