PAISAGEM

ORAÇÃO DO DIVINO ESPÍRITO SANTO

OH! JESUS MEU ETERNO PAI DO CÉU, DOCE CORAÇÃO DE JESUS, SOIS O ME REFÚGIO, MEU GUIA, MINHA LUZ QUE ILUMINA TODO MEU CAMINHO, ME PROTEJA, ME AJUDE, ME DÊ ÂNIMO, CORAGEM E MUITA CONFIANÇA. FIQUE SEMPRE COMIGO. DAI-ME UMA PAZ QUE BROTA DO MEU CORAÇÃO. DAI-ME A GRAÇA DE CONSEGUIR FAZER ALGO PARA VOS AGRADAR. DAI-ME FORÇA, A DECISÃO E CORAGEM. ENVIE TEU ESPÍRITO SANTO E TUDO SERÁ CRIADO. NÃO DEIXE TARDAR EM VOS AGRADECER. ILUMINE MINHA MENTE QUE DEVO FAZER. AJUDE QUE EU NÃO ME ESQUEÇA DE VOS AGRADECER. JESUS FIQUE SEMPRE COMIGO. DOCE CORAÇÃO DE MARIA, RAINHA DO CÉU E DA TERRA. SEJA NOSSA SALVAÇÃO. AMÉM

Observação: Esta oração foi escrita por minha mãe em seus últimos dias de vida /1993. Saudades!

quinta-feira, 17 de março de 2011

Esfera social de circulação: Cotidiana

Causos
São histórias cobertas de fantasia, nas quais se misturam elementos míticos e lendários, contadas, sobretudo por pescadores, tropeiros, vaqueiros, peões de fazenda e caçadores (extraordinários contadores de causos). Geralmente, o contador é o personagem principal, outras vezes, porém, apenas assistiu o fato.
Alguns exemplos de causos:
Um amigo meu certa vez me disse que havia pescado um lambari de 500g. Imediatamente eu lhe disse que havia pescado um lampeão aceso; e ele me disse:

- Pescar um lampeão aceso? 
E eu disse: 
- Diminua o tamanho do seu lambari que eu apago o meu lampeão!

Observações: O lambari é um peixe muito comum nos rios brasileiros, e de porte muito puequeno podendo atingir no máximo 150g.

Gentileza: Anderson EMail: afm@netflash.com.br 
Fonte: http://www.pescar.com.br/pescador/causostit.htm  

Causos de pescador
 Dois caipiras se encontram e começam a contar causo. 
- Ô Cumpadi Zé, o sinhô num vai aquerditá no tamanho do pexe qui eu peguei lá no riacho di trais di casa.
- Uai Cumpadi Tonho, conta logo o tamanho do baita. 
- Pois é Cumpadi eu peguei um lambari di 60 quilo. 
- Cumpadi, u tamanhu desse pexe num tá meio dimais não? 
- Não cumpadi, tá duvidano di eu, sô...
Os dois se foram e passados alguns dias os dois se encontram novamente. O compadre Zé, incomodado, vai logo dizendo:
- Ô cumpadi, i num é qui o tar do riacho é bão memo, sô! O sinhô num vai aquerditá nu qui eu fisguei lá. 
- Pois fala logo, homi. 
- Cumpadi, eu fisguei um lampião aceso, sô. 
- Ói cumpadi o sinhô mi adescurpe, mais lampião aceso num dá prá aquerditá não!
- Intão cumpadi, diminui o tamanho do seu pexe qui eu apago o meu lampião!!!

Fonte:
http://www.desvendar.com/diversaoearte/piadasdemineiro/piadas06.asp

http://www.youtube.com/watch?v=FxUVC03w2XM 
http://www.youtube.com/watch?v=ni1UnAbFssM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá pessoal!
Agradeço seu comentário.
Volte sempre! Geisa